08 dezembro 2010

Maternar ou entrar logo na velha calça Jeans?




O que você faz depois de ter um filho? No que depender do exemplo das celebridades brasileiras (e do que é noticiado sobre elas) você deixa o album do bebê de lado e o descanso fica para outra hora. Isso não é importante. Não há tempo a perder. A única coisa urgente é que você entre em forma imediatamente. Depois que isso acontecer, você vai ser capa de uma revista contando como "queimou" 15 quilos em um mês. A revista vai vender bastante. E virar notícia na internet.


Fiquei chocada com a matéria "Famosas decretam o fim do resguardo".
Quer dizer que pouco mais de um mês depois de ter dois bebês, a prioridade é "correr atrás do prejuízo", como está fazendo Giovanna Antonelli? Ou que com um bebê de dois meses é preciso passar por um "sério tratamento" como vai fazer Adriane Galisteu?



Nem quero entrar no mérito de quão danoso esse tipo de comportamento das celebridades seja para todas as mulheres comuns que penam para voltar ao seu corpo "normal". Sei que é difícil, porém, nesse ponto, acho que é responsabilidade nossa resistir a todos esses apelos, cultivar o carinho e o amor por nossos corpos como eles são e relaxar na nossa pele, pois a mídia vai continuar nos bombardeando, o photoshop vai continuar correndo solto e teremos que ser mais fortes que tudo isso. Temos que colocar em nossas cabeças de uma vez por todas que viver deixa marcas, que cada ruguinha e fio de cabelos branco simbolizam mais um pedacinho de nossa estada neste maravilhoso planeta. Imaginem, então, ter um filho? Quer experiência mais densa, complexa, viceral e tudo o mais de forte, gostoso, mamífero que puder existir? Como podemos voltar a "ser o que éramos antes" depois de passar por ela?



O que quero abordar aqui é outra questão: e os bebês dessas mulheres? Como ficam? Bebês com menos de um mês ficam com outra pessoa que não a mãe para que esta vá "recuperar a barriga malhada"? E a amamentação? E o colo? E o cheiro de mãe? Sempre tive muito clara a necessidade de a mulher se doar totalmente ao bebê nos primeiros meses, acho que isso está incluído no pacote "engravidar+ser mãe". Agora que estou grávida, então, essas coisas mexem ainda mais comigo. Um bebê é uma criaturinha complexa, que possui muito mais necessidades que o binômio "estar limpo-estar alimentado". Eles precisam de afago, de colinho, precisam se sentir seguros, precisam que apresentemos a eles com suavidade, com tranquilidade este mundão cheio de estímulos e que pode ser bem assustador para quem é muito pequeno e estava até pouco tempo atrás protegido e quentinho dentro do ventre materno. Isso é maternagem. E dar isso a nossos filhos, definitivamente, não combina com a busca do corpo perfeito.


2 comentários :

  1. Olá amiga! Tem toda razão!!!!As pessoas agradecem a Deus pela comida na mesa, mas como agradecer a um pai pela comida, se esta comida é um fiho dele? Ou será que o ser humano acha que só os humanos são filhos de Deus?
    Bjosssssss

    ResponderExcluir
  2. Aí q tá, por isso temos a opção de sermos OU NÃO mães, quer ser fútil? Então se poupe de ter filhos, acho q esse povo pensa assim: vou ter um cachorro bonitinho pra mostrar por aí, vou ter um filho pq a sociedade cobra, vai te catar!!! Adote uma criança então se quer continuar sendo aprendiz de barbie..... ou melhor, poupe um ser humano de dividir o convivio com sua futilidade, ótimo texto!!!!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...